Sankofa – visitando o passado para construir o futuro

Project Description

Nome do Grupo, Companhia ou Artista: Associação Cultural Odum Orixás


Estilo: espetáculo de dança


Sinopse: O tema condutor do espetáculo é a dança afro brasileira, que neste caso, traduz-se na condução fora do espaço sagrado mesclada a outras linguagens, como o canto, a dança primitiva contemporânea, teatro e poesia. Pretendemos desta forma executar uma releitura da caminhada do povo negro na diáspora africana no Brasil e no mundo estando no espaço do profano, sem, entretanto, descaracterizar as matrizes corporais dos movimentos praticados pelos nossos ancestrais em seus rituais sagrados. SANKOFA Faz uma visita ao passado da odum Orixás trazendo fragmento de coreografias e cantos que marcaram a trajetória do balé folclórico até a atual associação cultural que hoje mantem o sonho de Paulo Cesar Vale, Eliane Mares e Celsa Rosa que em 1972, ousaram pensar num coletivo que pesquisa e divulga a cultura afro brasileira levando a cada canto “um tantinho” da resistência e da cultura do povo negro e marginalizado deste país.

1 - ORIGEM - É uma brincadeira Lúdica com a criação do mundo levando em conta criação De matriz Africana, o cristianismo e a teoria da evolução até a criação da humanidade e seu aldeamento, sua liberdade e perda dela com o trafico negreiro. 2 – Tumbeiro/arvore do esquecimento - Retrata a triste travessia do atlântico negro feita por diversos navios ao longo dos anos de criminoso tráfico negreiro onde os cativos eram obrigados a dar voltas em uma árvore pois eles acreditavam que quando esse ritual era feito quem partia deixava ali suas memórias e crenças. 3 – Valongo - Chegada dos tumbeiros ao cais (e cemitério) de valongo(RJ) o maior porto de recebimentos de escravizados do Brasil. Pouso Alegre, nº/ 854, no subsolo, Bairro Floresta de Belo Horizonte Presidenta - Andréia Pereira – ( 31) 99409-3947 Eventos - Madu Santos – (31) 99925 77 08 4 – Construção da resistência física e cultural do povo negro no Brasil:
  1. a) - Senzala A proposta b) – solo: Inicio da resistência
c – Oju Obá - O olhar dos deuses africanos sobre cada um c - Guerreiros da liberdade - História de como lutar e vencer uma batalha pela liberdade 5 – Obi – Nóz sagrada Entrega do fruto de nossa luta pela liberdade num samba que pode ser partilhado com tod@s Biografia grupo: Ocupando o espaço físico na rua Pouso Alegre/ 854, no subsolo (garagem) , Bairro Floresta de Belo Horizonte. Neste espaço há 13 anos, funciona a ASSOCIAÇÃO CULTURAL ODUM ORIXÁS, uma das mais antigas, associações coletivas com ações voltadas para questões de cunho étnico racial cultura e histórico de Belo Horizonte. Uma história de meio século de existência a ser completada em 11/11 de 2022, a ASSOCIAÇÃO CULTURAL ODUM ORIXÁS, fundada como núcleo das danças negras no Brasil do Grupo Para Folclórico Aruanda e chamado de "Grupo de Balé Folclórico do Negro Odum Orixás". O coletivo surge em 1972, idealizado pelo sociólogo Paulo Cesar Valle, na mesma década de 70 o grupo foi emancipado e com a parceria com a musicista Celsa Rosa e com a atriz Eliane Maris artistas do Aruanda e Jairo Pinto de Barro (Charuto), assumiram a direção do coletivo. A música e a dança foram as primeiras linguagens artística utilizada para as manifestações a respeito da condição do negro na sociedade. A pesquisa iniciou-se pelo sociólogo Paulo Cesar Valle à partir de pesquisas realizadas nos terreiros de umbanda e candomblés da região metropolitana de Belo Horizonte.Com o tempo, outras manifestações culturais, como teatro, música, artesanato e poesia, vão ocupando espaço no grupo, pioneiro na luta contra o racismo e pelo fortalecimento e afirmação da cultura afro brasileira em Minas Gerais, em 2001, visando a ampliação da atuação e abrangência do acesso de pessoas Pouso Alegre, nº/ 854, no subsolo, Bairro Floresta de Belo Horizonte Presidenta - Andréia Pereira – ( 31) 99409-3947 Eventos - Madu Santos – (31) 99925 77 08 da região metropolitana, o grupo se transforma se transforma em ASSOCIAÇÃO CULTURAL ODUM ORIXÁS. O Coletivo Odum ao longo de sua história coleciona mais de 300 pessoas (artistas) que passaram pelo grupo trabalhando tendo experiências em prol da conscientização racial e resgatando a cidadania e a autoestima. Produções audiovisuais e oficinas. Todas propondo à sociedade uma reflexão sobre a importância e a influência que a cultura africana tem sobre os costumes populares brasileiros.


Ficha Técnica: Andréia Cristina Pereira (Produção e Dança), Andréia Pereira; José Saboia dos Santos (Produção), Sabóia; Alberto Araújo (Percussão) Produção, Buchecha; Marlene Ferreira da Silva (Dança), Marlene Ferreira; Leonardo de Jesus da Silva ( Dança, Figurino e Produção ), Léo de Jesus; Sirlene Cândida Leal Pereira (Canto), Sirlene Leal; Maria dos Anjos Pereira dos Santos (Dança), Madu Santos; Bernadete Maria do Nascimento Camargos (Dança), Bê Nascimento; Amanda Leal Pereira( Dança), Amanda Leal; José Nilson Francisco dos Santos (Percussão), José Nilson Obayo; Rodrigo Francisco Corrêa de Oliveira, Digo Corrêa; Adelson Vieira Santos ( diretor), Adelson Sabará; Paulo César da Conceição Santos (ator), Afrocésar; Luciana de Souza Matias ( Dança), Lu Matias; Verônica Félix Seixas (Dança), Verônica Félix; Neuzy Cirino Pinto ( Dança), Neuzy Cirino; Sheila Rosa Oliveira de Jesus (Produção), Sheila Rosa;  Rosária Ferreira de Araújo (Dança), Rosária Ferreira; Maria Sol Araújo Ferreira Silva (Dança e canto), Maria Sol; Glaucia Raimunda da Cruz (Percussão e canto), Nininha; Dário Lúcio Gonçalves da Costa (Percussão), Dário Lúcio; Alessandra dos Santos Thiago (Percussão), Alessandra Thiago; Ana Tereza Melo Brandão(Produção e Fotografia), Ana Tereza Brandão; Ravi Brandão Mata Machado (Produção e Fotografia), Ravi Brandão; Juan Victor Rodrigues dos Santos (Dança), Reyzinho; Rafael Barbosa Leão ( Sonorização), Rafael Leão; Abelardo Ribeiro de Novaes Neto (Percussão), Abelardo Ribeiro; Sthefany Jéssica Geraldo – (Assessoria de imprensa), Nega The.


Fonte: material de divulgação da Associação Cultural Odum Orixás, fornecido em junho de 2023.


Foto: Marcelo Sant’Anna

Project Details

Ano de estréia:

Data de inserção

8 de dezembro de 2023

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *